Fraude em planos de saúde: três freiras morreram sem atendimento

Michael Melo/Metrópoles

A ação de uma organização criminosa acusada de fraudar planos de saúde fez ao menos 100 vítimas no Distrito Federal. Entre elas, três freiras, que morreram. Sem saber que era alvo de um golpe, o convento onde elas moravam firmou contrato com a quadrilha. Logo depois, as vítimas precisaram de atendimento e descobriram que o documento era fraudado.

Outra morte é investigada. O bando é alvo da Operação Esculápio, realizada na manhã desta quarta-feira (27/11/2019). A investigação, coordenada pelo Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) e pela Polícia Civil do DF, mirou no grupo que age, desde 2016, no Distrito Federal e no Rio de Janeiro.

São investigados cinco corretoras de seguros, três empresas de fachada e quatro empresários. Segundo o promotor de Justiça Paulo Binichesk, os criminosos mantinham esquema para cadastrar clientes de forma fraudulenta em planos de saúde empresariais. A quadrilha é alvo de sete inquéritos policiais instaurados entre 2017 e 2018.

Fonte: Metropoles

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.