Motorista embriagado atropela e mata paratleta durante competição na Bahia

Jacson competindo momentos antes do acidente (Foto: Divulgação)

Um paratleta de 38 anos que participava de uma competição em Guanambi, no Sudoeste da Bahia, no sábado (17), morreu após ser atropelado por um homem que, segundo a polícia, dirigia embriagado ao volante e foi preso logo após o acidente.

A vítima, Jacson Silva, que é de Ipiaú, Sul baiano, participava pela primeira vez da Corrida do Suruá, realizada pela 23ª vez e que reuniu 58 competidores - e mais três paratletas.

A competição ocorre num trecho de 10 km entre a cidade de Guanambi e o distrito de Suruá, na BA-537, conhecida como Estrada da Matina. No total, 18 km separam a cidade do distrito, sendo que a competição começa no Km 8 em direção ao Suruá.No momento do acidente, Jacson Silva estava no km 14 do trecho. A organização do evento informou que o motorista que o atropelou, Jailson Ramos Moreira, 46, retornava de Guanambi quando o acidente ocorreu.

Jacson de 38 anos participava de vários eventos; aqui foto em corrida anterior (Foto: Divulgação)
Residente numa fazenda entre Guabambi e o distrito de Suruá, Jailson seguia em um veículo GM Astra pela sua mão, a mesma que estava liberada apenas para os atletas, quando atingiu Jacson Silva pelas costas.

A Polícia Civil informou que o motorista “foi preso em flagrante em visível estado de embriaguez” e responderá por homicídio culposo. Ele foi preso há dois meses por esfaquear a esposa (que sobreviveu), mas ganhou a liberdade por ordem da Justiça.Jailson foi transferido nesta segunda-feira (19) da delegacia de Guanambi para o presídio de Vitória da Conquista.

O paratleta chegou a ser socorrido por uma das duas ambulâncias que estavam na competição, mas morreu a caminho do hospital devido a fraturas múltiplas. O corpo dele está sendo velado em Ipiaú e será sepultado às 15h desta segunda-feira (19).

Os atletas, durante a corrida, usavam apenas um trecho da pista, no sentido de ida de Guanambi para o Suruá, mas o acompanhamento com duas viaturas e três motos da Polícia Militar (PM) e pessoal de apoio em oito motos ocorria apenas em trechos espaçados da rodovia.

“Essa foi a primeira vez que tivemos um acidente na competição, nos outros anos sempre foi realizada com tranquilidade. Lamentamos que uma vida tenha sido perdida e esperamos que haja Justiça”, disse Joel Alves de Brito, um dos organizadores da Corrida do Suruá.

Ao comentar o caso, o presidente da Federação Baiana de Desporto Participação, entidade que representa o paratletismo na Bahia, Audival Ferreira da Silva Júnior, disse que o acidente “ilustra a falta respeito que as pessoas têm com relação ao esporte”.

“Muitas vezes, coisas do tipo ocorrem na própria cidade, onde as pessoas ficam revoltadas porque se fecha metade de uma rua para praticar esporte. É um absurdo que não se tenha respeito por quem está buscando saúde e dar mais valor à vida”, comentou.

Informações Correio

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.